Shinka Blog

Informações e dicas sobre tecnologia

As vantagens e desvantagens das Appstores

E como cada um ganha e perde com elas

15 de Abril de 2014

Lojas Online

Chegou ao meu conhecimento que uma nova startup vai inaugurar uma loja online de jogos latinoamericanos. Não só isso é uma ótima notícia para o nosso mercado interno de jogos eletrônicos - hoje conhecido por nomes como Behold e Miniboss - e também para o micro-empresário dessa área, chamado de desenvolvedor indie, ou independente.

No site da Splitplay, fica claro que o objetivo nobre de seus idealizadores é fomentar a indústria no nosso continente e concentrar conteúdo digital de qualidade, aprovando cada jogo antes de ser publicado e se preocupando com marketing e outros custos que estão além da verba de um desenvolvedor de jogos ainda em início de carreira. No fim, as appstores - sejam da Apple, da Google ou qualquer outra - são um modelo válido de fazer com que seu trabalho chegue até o consumidor final sem barreiras comuns, como desconfiança, métodos de pagamento e de comparação etc.

Mas será que não tem alguma coisa errada nisso tudo? Por que algumas lojas têm muitos apps iguais, outras não tem nenhum app, algumas são caras, outras são estranhamente baratas... algumas vendem programas incompletos! Vamos ver, do ponto de vista de três personagens nessa novela: o Editor, o Criador e o Usuário.

Editor

O cara que diz o que entra ou não

Lojas Online

Um time de editores existe em cada uma dessas lojas online e ficam responsáveis por se certificar de que os produtos de cada loja não sejam danosos para os usuários. Na Apple, eles são responsáveis pelo rigoroso sistema de aprovação de apps, o que torna a publicação de apps para iPhones, iPods e iPads bastante burocrática e consome recursos da empresa numa plataforma em expansão contínua. Isso gera alguns empecilhos para o Criador, mas é importante para garantir que o usuário sempre tenha o melhor produto possível em mãos.

Por outro lado, na Google a filosofia é outra: o time de editores apenas interfere em produtos cuja comunidade de usuários identifica como danosos ou de má qualidade. A gigante de buscas certamente passa robôs para identificar possíveis softwares mal-intencionados, mas não tem como um robô entender o que é um app de qualidade - ainda. Portanto, a Play Store se autoregula através de comentários e avaliações dos usuários. Esse mecanismo existe também na loja da Apple, mas acaba sendo menos relevante para contabilizar qualidade.

O problema de deixar esse controle na mão de uma massa de usuários teoricamente anônimos é que você deixa brechas para: robôs de avaliação e usuários ruins. Durante um bom tempo, a loja da Google não conseguia manter um app que com problemas na loja, mesmo que os problemas fossem solucionáveis com updates. Isso acontecia, por que cada vez que um usuário reclama de um aplicativo, o app se torna manchado de avaliações ruins para sempre, não importando se o problema foi solucionado.

O Criador

Responsável por planejar, criar e desenvolver conteúdo digital

Lojas Online

Sejam jogos, software ou até livros, o Criador pode ser uma pessoa só, uma empresa ou um pequeno time. O fato é que ele tem uma ideia, ou um produto e ele quer ganhar dinheiro com esse produto. Ele acredita no que está fazendo, ou teria oferecido seus serviços para alguém, ao invés de criar um produto seu.

Fato é que o Criador precisa de duas coisas: um canal para vender seu produto e um canal para entender o seu público. Entendendo as necessidades e os problemas enfrentados por seus usuários, o Criador pode melhorar seu produto ou criar novos produtos que atendam essas necessidades. Todas as lojas que conheço tem algum espaço para comentários e isso é bom. No entanto, a maior reclamação que vejo por parte dos desenvolvedores é a falta de um canal de retorno desse feedback do usuário. O desafio deixa de ser criar um bom produto e se torna conseguir atingir aquele usuário que deixou um comentário negativo no seu produto, e tantos outros que podem se identificar com ele.

O Usuário

Seu dever nâo é apenas consumir, mas participar da criação do produto

Lojas Online

Quando você faz uma compra, qualquer que seja, você pesa diversas coisas: quanto vou investir, quanto vou ter de retorno, eu preciso disso? Mas, mais importante: O que as outras pessoas acharam desse produto? A opinião do outro é importante quando você vai fazer uma compra, mesmo a opinião de um desconhecido. De fato, existe gente que realmente para para escrever todo o tipo de comentário: elogiando todos os aspectos de um produto, reclamando dele, tentando ser imparcial e analisar cada pedaço ou simplesmente dizer: "Eu comprei isso!". De fato, a nossa capacidade de comentar gera alguns problemas sérios. Por exemplo: uma opinião extremamente negativa pode afundar um produto, mesmo quando ela é equivocada ou incompleta. Duas lojas tiveram esse problema e precisaram arranjar uma solução: a Play Store, da Google e a Steam, da Valve Software.

Ambas as lojas implementaram comentários livres para qualquer usuário, sejam os que adquiriram o produto ou não. Rapidamente, uma quantidade astronômica de comentários irrelevantes como "Estou baixando agora" e "Não gostei" foram inundando o sistema, colocando produtos já consagrados no topo e novatos no fim. Para quebrar o ciclo, novamente recorreram a auto-regulação: um usuário pode avaliar os comentários deixados, ajudando a selecionar aqueles que realmente o ajudam na hora de escolher o produto.

Você

Então as lojas online são uma solução que, como todas as outras, tem seus altos e baixos. O importante é entender os pontos fortes e fracos de cada Appstore antes de publicar seu produto, e ficar sempre com um pé atrás na hora de confiar naquela nota baixa. Ou, se você quer produzir um app, pode falar com a gente. Nós utilizamos tecnologias web para desenvolver apps para as mais variadas plataformas e sempre podemos garantir um serviço de acordo com as suas necessidades.

permalink

Precisa de um logotipo?

Peça um orçamento